Não sou fã do conceito de máscara anti-idade!

Se estão aí há algum tempo, devem ter reparado que gosto de máscaras e uso este tipo de produtos com alguma regularidade. Aliás, já abordei o tema anteriormente aqui no blog, nomeadamente algumas dicas de uso que poderão incrementar a sua eficácia.

Tento ser só amor e paz (ou pelo menos harmonia), mas como estou aqui sobretudo para informar, o que se segue são algumas palavras de esclarecimento acerca de um conceito cada vez mais em voga na indústria cosmética e que peca pela falta de correção. Sim, refiro-me ao termo de marketing anti-idade ou antienvelhecimento.

alsopurple-alyssa
Fonte: Tumblr (alsopurple) // Ru Paul’s Drag Race (World of Wonder).

E é assim que me sinto quase sempre que ouço estas palavras ou sinónimos. Tento não ter problemas com nada nem ninguém, mas é difícil quando tais vocábulos tendem a estar associados à crescente diminuição da honestidade associada ao marketing de produtos cosméticos e semelhantes bens de consumo.

Oxalá fosse só nesta indústria! Conversas como "prevenir o envelhecimento", "anti-aging", "combater o relógio" ou "evitar rugas" estão na boca e mente de muita gente, mas ainda mais em diversos meios de comunicação. Assim é difícil. Guess what? Nada nem ninguém consegue contornar as leis do tempo, que é, simplesmente, o bem mais precioso que cada um de nós poderá ter.

Envelhecemos a cada dia que passa e nenhum tipo de produto poderá evitar o decorrer dos anos e alguns dos efeitos que acarretarão. A não ser que inclua a tecnologia Vira-Tempo™ da saga Harry Potter. Até lá não há Hermione Granger ou J. K. Rowling que nos valham! Nevermind, é possível chegar aos 60 anos de idade sem rugas; é possível ter 20 anos e sinais de envelhecimento precoce. São a genética, o estado de saúde e escolhas. Que a gravidade, saúde, genética e estilo de vida estejam a vosso favor! ❤

Por isso mesmo, sou a favor de termos mais honestos como, por exemplo, "prevenção (de sinais) do envelhecimento precoce", "redução ou correção da aparência de sinais de idade" ou quiçá até "retardação do aparecimento dos primeiros sinais de envelhecimento". Claro que não é tão apetecível do ponto de vista comercial, mas deixar de alimentar ilusões é, utopicamente, o primeiro passo para impelir à ação de uma maneira que realmente possa fazer a diferença.

Vamos assumir que as máscaras se referem à prevenção de sinais típicos do envelhecimento precoce, mas usam termos como anti-idade ou antienvelhecimento para efeitos de marketing. Também assim encontra-se inerente uma problemática que gostaria de abordar nos parágrafos que se seguem.

Ora bem, o que é uma máscara propriamente dita? Excluindo o conceito de sheet mask, a máscara para propósitos cutâneos distingue-se de outros produtos cosméticos na medida em que, após a sua aplicação, é normalmente criada uma película sob a pele. A principal função da película formada após a aplicação de uma máscara será, obviamente, suportar os ingredientes do produto e disponibiliza-los, de modo a que contactem com a pele. Esta mesma torna ainda possíveis promessas como efeito reafirmante e antirrugas, na medida em que ao apertar a pele, poderá conferir uma sensaçāo e até aparência de lifting, se bem que serão temporárias, bastando muitas vezes apenas remover a máscara para que desapareçam.

Até agora, tudo bem. As máscaras são verdadeiramente uma mais-valia na rotina de cuidados de beleza de qualquer um e não deixem que vos digam o contrário. É só que, no caso das máscaras que combatem sinais de envelhecimento, há que ter em atenção o facto de poderem não ser tão eficazes como imaginável. Porquê? Ora bem, uma máscara que vise a prevenção ou aperfeiçoamento de sinais de idade terá de, imperativamente, conter ingredientes considerados "anti-aging", capazes de atuar exteriormente ou, em alguns casos, do exterior para o interior. Para além de outras questões que poderão ser debatidas noutro artigo, é verdadeiramente fulcral respeitar o tempo de aplicação necessário para que um determinado ingrediente possa surtir o efeito desejado, algo que diverge de substância para substância. E nem todas as máscaras concretizam esta premissa.

O facto do tempo de aplicação de muitas máscaras "anti-idade" ser, muitas vezes, reduzido, em comparação a um creme hidratante ou sérum, não abona a favor da sua eficácia. Em particular no caso de substâncias que melhorem a aparência de rugas, pigmentação ou perda de elasticidade, efeitos mais positivos são alcançados quando a exposição tem uma duração superior a apenas alguns minutos. É por isso que a sua recomendação de utilização tende a mencionar o período noturno. Por um lado, o organismo executa processos regenerativos durante o sono; por outro, a ausência de luz solar e atividade reduzem a probabilidade de substâncias com menor estabilidade se desvanecerem antes de poderem surtir algum efeito. Acrescem ainda fatores como uma maior limitação no número e tipo de ingredientes que uma máscara típica poderá conter assim como a probabilidade de uma parte dos ingredientes usados poder observar dificuldades em contactar com a pele, ficando, por exemplo, retida na película.

Será que isto vos deverá desmotivar de usar máscaras "anti-idade"? Por favor, não! Apenas peço que pensem duas vezes antes de adquirir produtos cujas promessas sejam aliciantes, mas não corroboradas por via da sua tipologia, lista de ingredientes, tempo de aplicação e até, se existente, evidência científica. Por exemplo, se a máscara "anti-envelhecimento" prometer suavizar a aparência de rugas e tiver de ser retirada passados quinze minutos, talvez não ajude mais que um sérum ou creme que ficarão na pele durante horas. Outro exemplo seria uma máscara "antirrugas e reafirmante" que forma uma película compressora que terá de ser puxada poucos minutos depois. É certo que quando a película for removida, a pele regressará ao seu estado anterior. Ou uma máscara contra a pigmentação que apenas hidrate sem conter substâncias ativas como vitamina C, retinol ou vitamina B3. Os exemplos sucedem-se.

Essas máscaras acabam por cumprir as suas promessas, embora as expetativas de alguns consumidores possam sair defraudadas. Para quem desejar obter resultados graduais, mas consolidados através do uso de máscaras "anti-idade", algumas sugestões serão:

  • O uso de máscaras noturnas que não tenham de ser removidas, mas absorvidas pela pele.
  • Máscaras de hidratação que, normalmente, não são retiradas e costumam oferecer melhores resultados em peles secas.
  • A aplicação de sheet masks, sendo que o fluído resultante das mesmas será massajado na pele, exceto se implícito o contrário nas instruções.
  • Produtos como, por exemplo, sheet masks que incluam um serúm que poderá ser aplicado na película ou,  o que poderá até aumentar a sua eficácia, diretamente na pele.
  • Patches vulgo adesivos, bastante usados em zonas tal como o contorno dos olhos e o sorriso, se contiverem um fluído com ingredientes ativos que possa permanecer na pele após a sua remoção.

Outro fator que poderá incrementar bastante a eficácia do produto que escolherem será garantir que seguem estas dicas. Usem as máscaras como aliadas na vossa rotina de cuidados de beleza, mas não façam delas a vossa única escolha no que toca a prevenir sinais de envelhecimento precoce!  😉

Anúncios

Os 10 mandamentos dos cuidados de pele.

#1. Amar a sua pele.

Como resultado de se amar a si próprio. Sim, é provavelmente mais da mesma conversa de chacha a que estamos habituados. Mas só quem se valoriza, pensando no futuro da sua pele, é capaz de se dedicar a um regime de cuidados adequado.

#2. Aplicar creme hidratante diariamente.

Mais uma sugestão um pouco básica, mas, hey, isto são os essenciais e não propriamente dicas groundbreaking. É importante aplicar creme hidratante pelo menos duas vezes ao dia. Complementem, à vontade e por favor, com outro tipo de produtos adequados ao vosso tipo de pele que promovam a hidratação cutânea.

#3. Não se esquecer de usar protetor solar.

Quem só se lembra que tem protetor solar durante os meses de verão e só porque vai para a praia está a desperdiçar todo o potencial deste produto milagroso. Apliquem em abundância - e como último passo da vossa rotina matinal de beleza - no rosto, no pescoço, no peito, nas mãos e em qualquer parte do corpo que venha a estar exposta à luz solar, nem que seja por breves momentos. Vale muito a pena!

#4. Limpar a pele de forma rigorosa.

Sobretudo se tiverem aplicado maquilhagem, mas, mesmo que não tenham, este passo não deve ser contornado. Não limpar a pele com regularidade poderá levar à obstrução dos poros, o que tenderá a causar imperfeições, mas também intensificar a aparência de linhas finas ou rugas, devido à sujidade que se aloja nestas depressões cutâneas. Usem produtos suaves e não lavem o rosto mais do que necessário, de forma a preservar os óleos naturais da pele e a sua hidratação.

#5. Não começar com cuidados contra o envelhecimento apenas quando os primeiros sinais de idade aparecerem.

Vou contar-vos uma pequena história e, sendo pessoal, claro que tem de ser extra! Quando tinha cerca de quatro anos, apanharam-me em flagrante a usar o creme antirrugas da minha mãe. Aos quinze anos, estava a elogiar um creme que adoraria ter quando me interromperam. Ambas as vezes ouvi "depois quando precisares dele verdadeiramente, não vai resultar". Don't try to hold me down. O mais importante a reter aqui é a necessidade de ter cuidados de pele preventivos e usar produtos adequados à sua idade, prevenindo danos antes que ocorram. Não necessariamente começando aos quatro anos de idade, mas isso já é outro assunto.

#6. Conhecer a sua pele e fazer escolhas conscientes no que toca aos produtos usados.

Se ainda não determinaram qual é o vosso tipo de pele, já era horinha de o fazer. É um passo crucial para determinar uma rotina de cuidados com a qual se sintam confortáveis e que vos faça bem. Não se coíbam de procurar aconselhamento profissional e pesquisar antes de adquirir um determinado produto. Por seu lado, os tratamentos DIY à la Pinterest - sagrado seja! - nem sempre são uma boa ideia, sobretudo quando envolvem ingredientes algo agressivos como vinagre, limão, óleo de menta ou canela. Não receiem experimentar, mas com consciência.

#7. Não tentar ficar bronzeado expondo-se à luz solar de forma inconsequente e constante.

Bem, todos os anos, quando chega a esta estação, assisto a muita gente que se põe a assar como se fosse uma tarte a ser servida na Última Ceia. Uma pele bronzeada é, a meu ver, bonita, mas acarreta riscos como o envelhecimento precoce ou, muito pior, cancro da pele. E não é um comportamento perigoso apenas para os copinhos de leite, ultrapassando raças e tons de pele. Citando a minha querida Betty, "utilizem algo que vos bronzeie. Não se tentem bronzear, porque é a única cara que têm". E não é que tem razão? Afinal, são mais de cem anos de experiência!

#8. Ter atenção àquilo que se consome.

Apesar de estar em sétimo lugar, este "mandamento" é o primeiro e mais determinante passo para uma pele saudável. É que, sem uma alimentação equilibrada, muito dificilmente algum tratamento exterior surte ou mantém um efeito milagroso. Apostem numa alimentação de baixo índice glicémico, rica em vegetais, frutas, proteínas magras, nozes, (pseudo)cereais, sementes e leguminosas, optando por alimentos não processados. Podem inspirar-se aqui.

#9. Manter-se hidratado.

Manter níveis de hidratação optimais contribui principalmente para o normal funcionamento do organismo e, em segundo plano, para uma pele com aspeto saudável e luminoso, prevenindo sinais de idade associados à desidratação. Apostem em bebidas sem açúcar e com pouca cafeína: as minhas favoritas são água simples ou com limão, chá e infusões herbais bem como águas infusionadas.

#10. Saber gerir e evitar situações de stress.

Os efeitos negativos do stress não se limitam apenas ao foro psicológico. Sabendo que o nosso estado de espírito influencia T-U-D-O, níveis anormais de stress podem conduzir a uma aparência desgastada, infeliz e envelhecida. É sabido ainda que algumas horas após uma situação de stress ter ocorrido os níveis de antioxidantes no organismo decrescem de forma drástica. Por isso, é importante recarregá-los. Mais importante ainda é saber parar, relaxar e, se necessário, procurar ajuda.

giphy1
Fonte: Giphy // Rihanna.

#3 Worth sharing: A beleza segundo centenárias.

É um SONHO chegar à idade destas três senhoras. É um sonho ainda maior chegar a uma idade tão avançada com tal agilidade mental e física. E, por fim, é um sonho, quiçá uma utopia, chegar aos cem anos com uma pele e sorriso radiantes. Que mulheres sortudas, se bem que a sorte também dá algum trabalho.

Estas senhoras sabem, com certeza, cuidar de si e partilham connosco os seus melhores segredos de beleza que contribuíram para que chegassem a tão avultada idade com uma pele e aspeto saudáveis. Cliquem no artigo para verem o vídeo que todos têm adorado!