13 dicas avançadas para usar máscaras faciais.

Não sei precisar quando é que as máscaras faciais se tornaram oficialmente um it item. A verdade é que passaram de uma atividade cliché das festas do pijama a uma presença constante no portfólio de marcas de renome na área dos cuidados de pele bem como nos mais diversos media.

Para este exponencial crescimento contribuiu, a meu ver, a elevada taxa de penetração das redes sociais associada à mediatização do quotidiano, mas não menos a meteórica ascensão da kbeauty, sobretudo no que concerne às sheet masks (máscaras descartáveis). É, em si, uma moda skin positive, quer se utilize por genuíno interesse pela aparência da pele ou apenas por likes. 😉

A vida parece ser melhor com uma máscara facial para relaxar ao final de um longo dia… Mas basta aplicar a máscara e ficar de papo para o ar? Não, apesar de ser melhor que nada. Hey, a maioria das máscaras faciais não é precisamente uma pechincha e, por isso, pelo tempo investido e porque não deverá ser de outra forma, convém tirar o máximo partido dos seus benefícios!

#1. Preparar a pele adequadamente.

Um dos meus horrores de estimação é, sem dúvida, deparar-me com pessoas na internet que aplicam uma máscara facial sem se terem desmaquilhado. Que parolice! Se não queres que, de forma alguma, vejam a tua pele “ao natural”, porque é que tens um vlog de cuidados de pele? Entendo que seja por motivos estéticos, mas não deixa de ser um mau exemplo que poderá induzir em erro.

Queridos, sabem que vos adoro e espero muito de vocês, pelo que acredito que não cometam este E-R-R-O ao aplicar uma máscara facial. Contudo, há ainda mais que podem fazer para preparar a pele e tirar o máximo proveito do produto que irão usar:

  • Máscara de limpeza: Limpeza do rosto seguida de esfoliação suave (opcional e caso o produto em questão não contenha agentes esfoliantes) e vaporização facial para abrir os poros.
  • Máscara de hidratação, proteção, brilho ou correção da tez: Limpeza do rosto seguida de esfoliação ou massagem do rosto com recurso a uma escova / aparelho de limpeza facial.
  • Máscara descartável (sheet mask): Limpeza do rosto seguida de esfoliação.
  • Máscara esfoliante: Limpeza do rosto com opção de vaporização facial para abrir os poros.
  • Máscaras peel-off que não visem a limpeza da pele: Limpeza do rosto com opção de esfoliação.

It is how it is… Se quiserem poupar algum tempo, sugiro vivamente que façam a vossa máscara após terem tomado um duche ou banho. A pele estará limpa e os poros ficarão mais relaxados graças ao vapor da água morna a quente, pelo que só falta, caso decidam optar por este passo, a esfoliação.

#2. Variar o tipo de máscara usado.

Encontraram a máscara perfeita? Good on you. Não é todos os dias que o amor verdadeiro aparece à nossa frente numa embalagem. Apesar de loyalty loyalty loyalty ser um das qualidades mais bonitas que alguém pode ter, tal não implica que tenham que se abster de outros tipos de máscara ou restantes produtos. Apostando em mais que uma variedade de máscara, é possível abranger adicionais preocupações do foro estético e evitar que a pele se habitue demasiado a um só produto.

#3. Estabelecer uma rotina de uso.

Usar uma máscara facial por causa daquela ocasião especial ou de uma formação anormal de imperfeições é ótimo. É melhor que nada. Mas os melhores resultados – e não me refiro exclusivamente a máscaras faciais – são atingidos por via da continuidade. O estabelecimento de uma rotina é particularmente importante para garantir que o produto surte o efeito desejado, sendo particularmente determinante no caso das máscaras de limpeza.

#4. Usar um pincel próprio para aplicar a máscara.

Apesar do investimento inicial, reduzido mas existente, um pincel de qualidade é uma das melhores ferramentas para aqueles que, tal como eu, aplicam máscaras faciais com relativa regularidade. Utilizar um pincel ajuda a controlar melhor e reduzir significativamente a quantidade de máscara usada, permitindo uma aplicação mais fácil e evitando o contacto das mãos com o produto em si. Recomendo ainda vivamente o uso de uma toalha suave para limpar o rosto antes e, caso necessário, depois de aplicar a máscara facial.

#5. Informar-se acerca dos ingredientes antes de utilizar.

Não sou daquelas pessoas que atentam particularmente à presença de qualquer tipo de químicos e valorizam a máxima naturalidade do produto. Concentro-me em encontrar ingredientes eficazes e, se possível, cuja mesma eficácia tenha sido documentada por via de estudos. Nem sempre ingredientes naturais são mais eficazes ou seguros. Nem todos os ingredientes químicos são prejudiciais e perigosos para a saúde.

Neste preciso momento, pelo que tal se pode alterar futuramente, não existe, a meu ver, evidência suficiente para afirmar que ingredientes como parabenos e restantes conservantes ou óleo mineral serão, na reduzida quantidade utilizada na maioria dos produtos cosméticos, maus ou bons para a saúde, apesar de muita boa gente que nunca leu um livro de dermatologia ou cosmética na vida o jurar. Talvez um dia escreva um artigo sobre isto.

Anyway, prestem atenção à presença de ingredientes aos quais possam ser alérgicos, com os quais tenham registado uma experiência menos positiva e também a álcoois voláteis, que, ao contrário dos álcoois gordos, secam a pele, podendo chegar a danificar a sua barreira protetora.

#6. Considerar a possibilidade de multi-masking.

É tendência. Se veio para ficar só o futuro dirá. Mas considero o multi-masking um conceito inovador, necessário em alguns casos e skin positive, pelo que espero que não caia “no negro vaso da água do esquecimento” (in “Os Lusíadas”, canto I, 32ª estância, 106ª estrofe). Sim, gosto de citar “Os Lusíadas” de forma aleatória.

O multi-masking é ideal para aqueles que têm tempo limitado para cuidar da sua pele e desejam tratar diferentes preocupações cutâneas em simultâneo; para quem tem pele mista, sendo que algumas zonas do rosto serão mais secas e outras mais oleosas ou para outros tantos que, por motivos de saúde ou pelos seus hábitos, costumam ter formações anormais de imperfeições numa parte da cara ou corpo em específico.

#7. Aplicar o que sobrar noutras partes do corpo.

É aborrecido comprar uma embalagem de máscara, indicada para uma única utilização, e, após a aplicação, acabar por restar uma quantidade considerável do produto. Que fazer? A maioria optará por aplicar os restos da máscara facial no rosto, formando uma espécie de segunda camada.

Tal nem sempre aumenta a eficácia do produto e, no particular caso das máscaras de hidratação e correção da pele, uma maior quantidade de máscara nem sempre será melhor absorvida. Posto isto, recomendo que apliquem o que sobrar numa outra zona do vosso corpo que possa beneficiar dessa máscara. Poderão, por exemplo, aplicar uma máscara de hidratação nas mãos, pescoço ou peito tal como uma máscara de limpeza numa zona propensa a imperfeições como, por exemplo, as costas.

#8. Cuidar da pele após retirar a máscara.

Passados alguns minutos, é hora de retirar a máscara! Mas já acabou? Não, há trabalho de casa a fazer para garantir que tiram o máximo partido da máscara que acabaram de aplicar. De forma geral, massajar a pele suavemente, ajudando vestígios de máscara a serem melhor absorvidos, e aplicar sérum, seguido de creme hidratante, se desejável, são passos a seguir.

  • Máscara de limpeza: Remoção da máscara com água tépida, seguida de aplicação de, opcionalmente, sérum e creme hidratante.
  • Máscara de hidratação, proteção, brilho ou correção da tez: Caso necessário, remoção da máscara com água tépida. Se for uma máscara que deverá ser absorvida pela pele, é indicada uma massagem facial suave, de forma a auxiliar a absorção. De seguida, recomenda-se a aplicação de, opcionalmente, sérum e creme hidratante.
  • Máscara descartável (sheet mask): Massagem facial suave, de forma a auxiliar a absorção, seguida de aplicação de, opcionalmente, sérum e creme hidratante.
  • Máscara esfoliante: Remoção da máscara com água tépida, seguida de aplicação de, opcionalmente, sérum e creme hidratante.
  • Máscaras peel-off que não visem a limpeza da pele: Remoção da máscara acompanhada de limpeza da pele com água tépida.  De seguida, recomenda-se a aplicação de, opcionalmente, sérum e creme hidratante.

Porquê colocar cremes se mal acabei de limpar a pele? Após a aplicação de uma máscara facial, a pele encontra-se algo sensível, pelo que utilizar tal oportunidade para aplicar um sérum e / ou creme hidratante fará com que estes produtos sejam melhor absorvidos. Todavia, evitem substâncias que possam causar irritação cutânea.

#9. Aproveitar para cuidar do contorno dos olhos, lábios ou mãos.

Após colocarmos uma máscara facial, é certo que nos aguardam minutos de semi-inatividade. E que tal aproveitar esse tempo para aplicar, em simultâneo, máscaras para o contorno dos olhos, lábios, mãos, corpo ou cabelos? De qualquer das formas, é importante relembrar que também estas zonas devem ser mimadas com cuidados, sendo as máscaras um exemplo.

#10. Respeitar o tempo de utilização visado nas instruções.

Se não se cumprir o tempo mínimo recomendado, a máscara facial não terá o efeito esperado. O inverso também é verdade: se usada para além do estipulado na embalagem, o produto poderá ter consequências indesejáveis. A partir desse tempo, a máscara – sobretudo do tipo sheet mask – começa a secar, perdendo os seus benefícios e retirando hidratação à pele. Face ao exposto, não é aconselhável dormir com uma máscara facial, exceto se estipulado na descrição do produto.

#11. Caso necessário, aplicar proteção solar de seguida.

Como a pele fica mais sensível após a aplicação de uma máscara facial, não se esqueçam de usar protetor solar, sobretudo se o tiverem de manhã e saírem  de casa. Caso apliquem uma máscara facial à noite, esperem pela manhã seguinte para colocarem protetor solar sobretudo no rosto, pescoço, mãos e peito bem como em qualquer parte do corpo que venha a estar exposta à luz solar.

#12. Retirar a máscara facial com água tépida.

A água fria é ideal para lavar a pele sem retirar os seus óleos naturais. Assim sendo, não consegue remover uma máscara facial tão facilmente como água mais quente. Tendo em conta a importância de eliminar cuidadosamente quaisquer vestígios de produto, particularmente no caso das máscaras de limpeza, prefiram água tépida (ou morna) a água quente ou fria.

#13. Quem tem pele sensível deverá testar a máscara previamente.

Apesar de todas as máscaras num mercado regulamentado serem consideradas aptas para aplicação cutânea e utilizarem ingredientes certificados como seguros para a pele, nada é tão seguro como testar uma pequena quantidade do produto durante quinze minutos, numa parte do braço, sobretudo caso tenham pele sensível; experimentem algo novo ou tenham exportado um artigo de um país que possa ter uma regulação menos desenvolvida neste âmbito.

The time has come for you to (multi-)mask for your lives! 🙂

giphy2
Fonte: Giphy // Ru Paul’s Drag Race (World of Wonder).

Que acharam das dicas? Esqueci-me de alguma? Qual é a vossa máscara favorita? A vossa opinião está a um clique de distância! C.

Anúncios

6 thoughts on “13 dicas avançadas para usar máscaras faciais.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s