Tulsi, a minha salvação contra infeções.

Oriundo da Índia, o tulsi, também denominado de “rainha das ervas”, é celebrado e respeitado há milhares de anos, sobretudo no subcontinente indiano, como uma planta sagrada, quer pelos seus inúmeros benefícios para a saúde, quer pela sua significância cultural e religiosa.

tulsi-1539181_1280
Fonte: Pixabay.

O que é o tulsi?

Considerada uma planta adaptógena, capaz de revigorar o sistema imunitário e prevenir doenças associadas a situações de stress e a circunstâncias físicas algo extremas, o tulsi é um alimento essencial na culinária e estilo de vida ayurvédicos, encontrando-se também presente em diversos lares indianos e naqueles de quem professa o Hinduísmo.

Existem sobretudo três variedades de tulsi: o tulsi Rama, o tulsi Vana e o tulsi Krishna. Diferem ligeiramente no paladar, odor e aparência. Combinar diferentes tipos de tulsi é uma excelente forma de potenciar o seu valor nutritivo e sabor.

Qual é a significância cultural do tulsi?

Venerado como símbolo de enorme importância na tradição hindu, o manjericão indiano é prezado como um ser vivo auspicioso em todos os âmbitos. Considerado, na religião hinduísta, como uma das únicas plantas (e, possivelmente, a única) que tem a capacidade de purificar e se autopurificar, o tulsi é uma presença constante nas sagradas escrituras e, por conseguinte, na vida e cultura indianas.

Quais são os benefícios do tulsi para a saúde?

Se consumido com regularidade, o tulsi poderá prevenir e aliviar indisposições e doenças, assim como aumentar sensações de bem-estar.

O tulsi é apreciado pelas suas propriedades depurativas. Pode assim contribuir para um organismo e pele mais purificados, se consumido regularmente. É possível beneficiar das propriedades depurativas do tulsi quer através da ingestão desta planta, quer através de uso cutâneo.

As folhas de tulsi podem contribuir para a prevenção de constipações comuns e febres. Sobretudo durante a época das monções, na qual doenças como o dengue prevalecem, muitas famílias indianas recorrem a infusões de folhas de tulsi como uma maneira de fortalecer o sistema imunitário e prevenir esta maleita.

O tulsi pode aliviar as dores de garganta e a tosse. Embora já existam diversos xaropes contra a tosse e expectoração cuja receita inclui extrato de tulsi, mastigar folhas de tulsi é uma prática bastante comum que permite a melhoria dos sintomas acima referidos.

O tulsi pode auxiliar o tratamento de doenças respiratórias. Receitas caseiras como xarope de folhas de tulsi, gengibre e mel podem prestar alívio imediato e contribuir para a melhoria dos sintomas de doenças como gripes, constipações comuns e tosse.

O tulsi pode fortalecer o aparelho urinário, sobretudo os rins. Desta forma, poderá prevenir distúrbios como a urolitíase, também designada de pedra nos rins.

O tulsi pode ajudar a normalizar os valores de colesterol nocivo para a saúde. Previne, assim, os efeitos negativos associados a níveis elevados de colesterol para a saúde cardíaca.

Sendo uma planta adaptógena, o tulsi é capaz de reduzir o stress, relaxando o corpo e a mente de forma natural, permitindo-lhes que se adaptem com rapidez às mais diversas situações. É também uma alternativa à aspirina como cura de dores de cabeça.

O tulsi pode aliviar e curar picadas de insetos. Para beneficiar deste efeito, é aconselhável massajar as partes afetadas com sumo de tulsi ou com uma pasta feita a partir das raízes desta planta.

O tulsi pode contribuir para o alívio de infecções e lesões bucais. Recomenda-se, se possível, mastigar folhas de tulsi ou o consumir chá das folhas desta planta.

O consumo regular de tulsi poderá auxiliar a normalização dos valores de glicose no sangue, devido à elevada presença de antioxidantes na sua composição.

Como é que se pode consumir tulsi?

Embora tradições inculcadas de geração em geração apontem para o facto de todas as partes do tulsi poderem ser consumidas ou utilizadas para os mais diversos fins, o tulsi é geralmente consumido no seu estado natural, aproveitando-se sobretudo as suas folhas, em forma de chá, sumo, pó, sendo ainda, muitas vezes, empregado para uso cutâneo em forma de óleo essencial (ou simplesmente inalado).


Catmentário:

Quem nunca sentiu uma constipação (palavra equivalente a resfriado em português do Brasil) a chegar a passos largos e começou a desesperar, numa luta contra o tempo, tentando impedir que a infeção se apoderasse do organismo? Eu já. Felizmente, têm sido raras as vezes em que tal acontece, sobretudo devido a:

#1. Uma alimentação equilibrada.

#2. Atividade física.

#3. Respeitar uma meta de sete a oito horas de sono diárias.

#4. Não consumir álcool, tabaco ou drogas.

#5. Garantir a hidratação constante do corpo, apostando principalmente em bebidas com características antibióticas como o chá verde ou preto assim como infusões de canela, gengibre, equinácea ou tulsi, o manjericão mágico.

#6. Não absorver a energia negativa dos demais, que, por si só, é uma doença.

#7. Suster a respiração cada vez que alguém perto de mim, num espaço fechado ou na rua, tussa ou espirre. Para além de impedir que respire as batérias que durante os próximos segundos se encontrarão no ar, é uma ótima forma de treinar a postura e exercitar os músculos da barriga. 😉

Mesmo assim, ninguém pode evitar completamente o aparecimento de uma constipação. Faço os possíveis e impossíveis, porque, para além do mais, sou daquelas pessoas que a seguir a uma infeção deste tipo se deparam com um presente irrecusável: herpes labial provocado pelo vírus da constipação. Não no lábio, mas sim no canto da boca, o que o torna impossível de disfarçar completamente e faz de atividades como comer, beber ou falar algo insuportável.

Motivos suficientes para não querer ficar constipada de maneira alguma, ou? A última vez que senti que poderia vir a ficar constipada muito brevemente foi na passada quarta-feira, após a minha viagem de Portugal para a Alemanha. Se em Portugal estavam cerca de 25 graus, na Alemanha estava a nevar (embora os flocos derretessem no chão)… Erro meu, poderia ter-me agasalhado melhor. Mas não o fiz, porque vivo para o improviso e não tinha levado roupas de inverno na mala.

Passei frio, não duvidem. Mas voltaria a fazer tudo de novo. Porque vivo para o improviso. Porque tenho um segredo que, juntamente com as dicas de fortalecimento do sistema imunitário acima, me tem impedido de ficar constipada nos últimos dois anos. Herpes labial, long time, no see!  É precisamente a minha planta magia, o manjericão mágico: o tulsi.

O chá de tulsi é, sem dúvida, aquilo que não pode faltar no meu armário de chás e mezinhas. Mal sinto dores de garganta, cabeça e preguiça anormal, sei o que fazer: preparar uma chávena de chá de tulsi, bebê-lo quente e dormir pelo menos nove horas nessa noite. Faz verdadeiramente maravilhas! Costumo beber o chá Três Tulsi da marca Pukka Herbs, que combina as propriedades das variedades Rama, Vana e Krishna. Adorava ainda ter um vaso de tulsi, mas até agora não me foi possível. Mais um desejo para a bucket list. 😉

De qualquer das formas, o tulsi oferece demasiados benefícios para poder continuar no desconhecimento geral. Deixou de ser segredo e passou a ser uma dica que pode mostrar-se útil a cada um. E isso… That’s hot!

bizkuuh
Fonte: Imgur / The Simple Life com Paris Hilton e Nicole Richie.

Já conheciam ou experimentaram o tulsi? Qual é o vosso remédio favorito para fortalecer o sistema imunitário e evitar as malditas constipações? Adoraria saber! C.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s